Futebol Mídia e Democracia realiza I Encontro Nacional

Ligado .

Fundado em 2015 no Centro de Estudos da Mídia Alternativa Barão de Itararé, o Coletivo Futebol Mídia e Democracia realiza, no dia 11 de fevereiro, o seu I Encontro Nacional. A atividade, que ocorre no centro de São Paulo, reunirá torcedores, jornalistas e ativistas de diversas regiões do país para dialogar sobre como enfrentar a agenda de lutas de 2017 nas ruas e nas arquibancadas.

O Encontro acontece na sede do Barão de Itararé, localizada na rua Rego Freitas, 454, conjunto 84, próximo ao metrô República, a partir das 12h. O evento é aberto a todos os interessados em somar esforços ao Futebol Mídia e Democracia, além de contar com apoio do AGIR - Arquibancada Ampla Geral e Irrestrita. Compareça e ajude a construir a luta por um futebol e uma sociedade mais democráticos!

Confira o chamado feito pelo Coletivo Futebol Mídia e Democracia:

O ano de 2017 promete ser de muita luta em defesa da democracia e contra os retrocessos tanto fora quanto dentro do estádios.

O conservadorismo avança no país, sobretudo após o golpe de 2016. Por isso mais do que nunca é preciso deixar as rivalidades de lado e reforçarmos a união entre torcedores para que as bandeiras das nossas pautas sejam as mais altas nas ruas e nas arquibancadas.

No dia 11 de fevereiro, a partir do meio dia, o coletivo Futebol, Mídia e Democracia realizará seu 1° Encontro Nacional. E contará com o reforço e apoio do AGIR- Arquibancada Ampla, Geral e Irrestrita. Tanto em manifestações de rua, quanto nos estádios, os dois movimentos estão sempre presentes defendendo um futebol mais democrático e popular.

As redes também foram um importante espaço de ação. O principal exemplo é a campanha “Jogo 10 da noite, não!”, criada pelo FMD. O encontro reunirá interessados em participar dessa luta a fim de debater novas e criativas formas de ação para que possamos encarar de frente os desafios e batalhas do ano que se inicia. Compareça!

Confirme presença no evento e convide seus amigos: https://www.facebook.com/events/1093491254110238/

 

Futebol Mídia e Democracia realiza I Encontro Nacional

Ligado .

Fundado em 2015 no Centro de Estudos da Mídia Alternativa Barão de Itararé, o Coletivo Futebol Mídia e Democracia realiza, no dia 11 de fevereiro, o seu I Encontro Nacional. A atividade, que ocorre no centro de São Paulo, reunirá torcedores, jornalistas e ativistas de diversas regiões do país para dialogar sobre como enfrentar a agenda de lutas de 2017 nas ruas e nas arquibancadas.

O Encontro acontece na sede do Barão de Itararé, localizada na rua Rego Freitas, 454, conjunto 84, próximo ao metrô República, a partir das 12h. O evento é aberto a todos os interessados em somar esforços ao Futebol Mídia e Democracia, além de contar com apoio do AGIR - Arquibancada Ampla Geral e Irrestrita. Compareça e ajude a construir a luta por um futebol e uma sociedade mais democráticos!

Confira o chamado feito pelo Coletivo Futebol Mídia e Democracia:

O ano de 2017 promete ser de muita luta em defesa da democracia e contra os retrocessos tanto fora quanto dentro do estádios.

O conservadorismo avança no país, sobretudo após o golpe de 2016. Por isso mais do que nunca é preciso deixar as rivalidades de lado e reforçarmos a união entre torcedores para que as bandeiras das nossas pautas sejam as mais altas nas ruas e nas arquibancadas.

No dia 11 de fevereiro, a partir do meio dia, o coletivo Futebol, Mídia e Democracia realizará seu 1° Encontro Nacional. E contará com o reforço e apoio do AGIR- Arquibancada Ampla, Geral e Irrestrita. Tanto em manifestações de rua, quanto nos estádios, os dois movimentos estão sempre presentes defendendo um futebol mais democrático e popular.

As redes também foram um importante espaço de ação. O principal exemplo é a campanha “Jogo 10 da noite, não!”, criada pelo FMD. O encontro reunirá interessados em participar dessa luta a fim de debater novas e criativas formas de ação para que possamos encarar de frente os desafios e batalhas do ano que se inicia. Compareça!

Confirme presença no evento e convide seus amigos: https://www.facebook.com/events/1093491254110238/

 

Entrevista de delegado da Lava Jato à Veja é um show de erros, mentiras e imprecisões

Ligado .

 

Publicado no Diário do Centro do Mundo, com informações do blog de Marcelo Auler

O jornalista Marcelo Auler elencou, em seu blog, os erros, mentiras e imprecisões na entrevista do delegado federal Maurício Moscardi Grillo, da Lava Jato, à Veja:

Os rolos por trás do presente bilionário às teles

Ligado .

O ministro de Comunicações, Gilberto Kassab, age em nome da ideia de venda da Oi (Beto Brata/PR)O ministro de Comunicações, Gilberto Kassab, age em nome da ideia de venda da Oi (Beto Brata/PR)

Do blog do Intervozes na Carta Capital

Às vésperas do Natal, o Congresso e o governo prepararam um presente às companhias de telefonia fixa de dar inveja ao mais generoso Papai Noel. Tentaram mudar a lei para que elas não tenham mais de pagar para explorar o serviço público nem aceitar metas de atendimento aos brasileiros, muito menos devolver, ao fim dos contratos em 2025, o patrimônio público alugado nos leilões de 1998.

Calar Jamais! A Comunicação na luta pela democracia em 2017

Ligado .

Por Renata Mielli*

O enfrentamento do conservadorismo e do golpe exige ações que unifiquem amplos setores democráticos e populares em várias frentes. A construção dessa unidade só será efetivada se estiver lastreada em propostas que aglutinem a sociedade. A luta em defesa dos direitos trabalhistas, da Saúde, da Educação, da Soberania Nacional precisam se desdobrar em uma agenda política concreta. Essa é uma das principais tarefas e desafios para o ano de 2017.

A luta pela democratização dos meios de comunicação precisa fazer parte desta agenda. Ela tem como um de seus elementos centrais a garantia do direito à comunicação, da liberdade de expressão e, para tanto, a promoção de mais diversidade e pluralidade na mídia. Tem uma importante dimensão democrática e que afeta o desenvolvimento da sociedade.

Mas esta é uma pauta que vai muito além desta dimensão. Enquanto a esquerda não compreender a comunicação em sua dimensão econômica e política, não vai atacar um dos principais tentáculos do capitalismo contemporâneo.