Privacidade, mercadoria de luxo

Ligado .

Como a coleta invasiva de dados pessoais, sob o Capitalismo de Vigilância, elimina direitos, impõe comportamentos e torna totalitário o poder das corporações. Só escapa o 1% que comanda a máquina

Por Rafael Evangelista, no Outras Palavras

Causou pequeno furor na Internet, recentemente, a notícia de que o Nubank poderia interromper as suas atividades no Brasil. O Nubank é uma dessas fintech, empresas de finanças que utilizam de ferramentas de alta tecnologia, principalmente big data, para realizarem suas operações de crédito e que também oferecem uma “experiência tecnológica” a seus clientes, como fazerem tudo pelo celular. O motivo do fechamento seriam mudanças na regulação do mercado de cartão de crédito propostas pela equipe econômica do famigerado Michel Temer, em especial o encurtamento no prazo de pagamento a ser feito aos lojistas pela financiadora quando alguém compra usando o cartão. O Nubank, choraram seus executivos, não teria caixa para antecipar pagamentos e não poderia manter práticas que o diferenciam de seus concorrentes, como a isenção de cobrança de anuidades. Por isso também a grita dos clientes.

Temer & teles: um dos maiores golpes no patrimônio público

Ligado .

Da página Internet Sob Ataque - O Ministério Público Federal, por meio da 3ª Câmara de Consumidor e Ordem Econômica, recebeu, na última semana, uma representação para que seja instaurado um Inquérito Civil Público para apurar possíveis atos ilegais decorrentes da aprovação, pelo Congresso Nacional, do PLC 79/16 - o chamado "PL das Teles". A representação, assinada por entidades que integram a Coalizão Direitos na Rede - dentre elas Barão de Itararé, PROTESTE - Associação de Consumidores, Intervozes, Coletivo Digital, Instituto Bem Estar Brasil, Instituto Nupef, Clube de Engenharia e Instituto Telecom - pede que o MPF adote as medidas cabíveis para resguardar o interesse público neste processo.

Na avaliação das entidades, os atos praticados pelo Ministro Gilberto Kassab e por agentes da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) relativos à alteração do marco regulatório das telecomunicações implicam em desrespeito aos preceitos constitucionais bem como aos princípios da Administração Pública para licitações. O prejuízo, como vem sendo apontado pelo Tribunal de Contas da União, pode representar a perda de mais de R$ 80 bilhões relativos aos bens reversíveis correspondentes aos contratos de concessão do serviço de telefonia fixa e, mais, a perda do poder de soberania do estado brasileiro sobre as redes estratégicas de telecomunicações, fundamentais para a prestação de outros serviços públicos essenciais.

Nesta terça-feira, a senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB/AM) escreveu, na Folha de S.Paulo, sobre a entrega desses bilhões em patrimônico público às operadoras de telecomunicasões. Vale a leitura.

Barão de Itararé entra em recesso no dia 23/12

Ligado .

Barão de Itararé estará em recesso entre os dias 23 de dezembro e 3 de janeiro para recarregar as pilhas e não esmorecer diante do período de retrocessos e ataques à liberdade de expressão inaugurado pelo golpe judicial-midiático-parlamentar.

Desejamos a todos um ótimo final de ano. Até 2017!

Morre Max Altman, um internacionalista incansável

Ligado .

Morreu Max Altman, meu pai

Por Breno Altman

Nessa segunda-feira, dia 19 de dezembro, às 21h15, faleceu um militante internacionalista de toda a vida. Um homem que dedicou sua existência à luta pelo socialismo, à revolução proletária e à solidariedade anti-imperialista.

Dissertação mostra influência sandinista na política externa do PT nos anos 80

Ligado .

Qual foi o papel do processo revolucionário da Nicarágua na formulação da política externa do PT em sua fase inicial? Como surgiu o internacionalismo petista com foco na América Latina e qual foi a sua contribuição para os movimentos de solidariedade ao povo nicaraguense na década de 1980?