14
Sex, Dez

Carlos Tibúrcio e Oswaldo Luiz Colibri falam sobre rádio e comunicação popular

Notícias do Barão
Typography
  • Smaller Small Medium Big Bigger
  • Default Helvetica Segoe Georgia Times

Por Michele Fonseca Carvalho (texto) e Juliano Vieira (foto), do Brasil de Fato, para o Barão de Itararé

O rádio foi o tema que fechou o segundo dia do curso, A comunicação para enfrentar os retrocessos, promovido pelo Centro de Estudos da Mídia Alternativa Barão de Itararé, entre os dias 26 e 29 de março, no auditório da escola do Dieese, na capital paulista.

O jornalista Carlos Tibúrcio deu início aos debates ao falar da sua experiência como idealizador do programa Democracia no Ar, que nasceu com o objetivo de fortalecer a comunicação independente e alternativa. “O desafio, proposto pelo Lula, era produzir conteúdos de interesse popular, bater nas portas das rádios e conseguir um espaço. Com isso, a gente conseguia agregar as pessoas, fazer um trabalho de base”, lembrou.

Tibúrcio também destacou que é possível fazer rádio com o mínimo de recurso. Ele citou o exemplo do programa Fórum Social Mundial no Ar, que concentrou  a produção de conteúdo do evento, realizado este ano em Salvador, mesmo com pouca estrutura e uma equipe pequena.

Os participantes do curso também puderam conhecer um pouco mais da Rádio Brasil Atual, com o jornalista Oswaldo Luiz Colibri Vitta. Já no início de sua fala, ele demonstrou o quanto gosta do que faz, “eu sou um apaixonado por rádio”, declarou.

Colibri contou a história do projeto, falou sobre sua programação musical e jornalística, além de apresentar dados sobre o alcance radiofônico. “Quero entusiasmar vocês para usar o veículo rádio”, finalizou.