12
Seg, Nov

Por que a crise argentina, onde há saques a supermercados, não é notícia no Brasil?

Internacional
Typography
  • Smaller Small Medium Big Bigger
  • Default Helvetica Segoe Georgia Times

 A severa crise econômica do governo argentino é praticamente ignorada pela mídia brasileira. O motivo? Seu presidente, Maurício Macri, foi vendido pelo mercado como o modelo do que o sistema financeiro e o liberalismo quer para a região - após mais de uma década de fortalecimento de governos progressistas. Daí a esconder o alto índice de desemprego, aumento da fome e da pobreza e saques em supermercados. Este vídeo é um registro de um caso ocorrido na semana passada. 

Fonte: Conexão Jornalismo

Os principais jornais do país, Página 12 e Clarin, registraram saques nas cidades de Mendoza e Comodoro Rivadavia. Os grupos se organizaram através da rede whatsapp e usaram para isso o código "Saqueos hambre de Macri" (Saques fome de Macri). Em Comodoro Rivadavia, nove pessoas foram presas, quatro jovens menores de idade. Assista o vídeo do saque em Mendoza.

Macri acredita estar diante de uma bifurcação que se abre à sua frente. Não sabe se atende o mercado, que exige mais ajustes e arrochos, ou a população que teme medidas de austeridade que provocam desemprego. Enquanto isso diverte-se vendo a Justiça fustigar Cristina Kirchner. 

Em agosto optou pela maxi desvalorização do peso que perdeu 35% do seu valor e, no ano, 104%. Ou seja: vale metade do que valia em janeiro.

A crise argentina é tão grande que até mesmo venezuelanos que buscaram refúgio no país por conta da crise no país de Maduro começaram a retornar.