25 de julho de 2024

Search
Close this search box.

#TwitterApoiaFakeNews: especialista afirma que plataforma tem plena capacidade de filtrar notícias falsas

Usuários do Twitter se mobilizam desde a noite desta quarta-feira (5) em uma campanha, a partir da hashtag #TwitterApoiaFakeNews, para a direção da plataforma coloque em execução no Brasil ferramenta que filtra informações falsas e negacionistas.

Um dos motivos que serviu para mobilizar a ação em rede foi o fato de o Twitter não disponibilizar para o Brasil ferramenta para denunciar publicações com informações falsas sobre a pandemia, Covid-19 e vacinas.

Por Marcelo Hailer, na Fórum

Os membros da rede afirmam que a ferramenta de combate à desinformação do Twitter está disponível no Estados Unidos, Coreia do Sul e na Austrália desde agosto de 2021.

Em sua defesa, o Twitter alega que a ferramenta ainda está em fase de teste e, caso o resultado seja positivo, ela será disponibilizada para o mundo todo.

Outro problema apontado na ação é a forma como o Twitter tem concedido o selo de verificação a perfis. Os usuários têm criticado o fato de que a plataforma concedeu tal validação para perfis que disseminam fake news nas redes, entre eles, Bárbara Destefani, que é militante anti-vacina.

A militante Bárbara Destefani compõe o inquérito conduzido pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Alexandre de Moraes, contra a disseminação de fake news nas redes. O perfil de Destefani no YouTube está entre os 14 que tiveram os pagamentos suspensos por ordem do ministro Moraes.

Desinformação

O analista de dados Antônio Arles fez um levantamento sobre a #TwitterApoiaFakeNews a partir dos RT (retuite) e identificou 13.413 membros com 26.924. Ou seja, a mobilização teve “um número significativo”.

Além disso, Arles destaca que provavelmente “o engajamento total, que não foi o objetivo da análise, como favoritadas e replies certamente foi bem maior do que isso”.

Sobre as alegações do Twitter e mecanismo de combate à fake news nas redes, Arles explica que tais ferramentas nunca são neutras e pode haver manipulação, porém, ele destaca que o Twitter tem acesso aos dados e que poderia exercer um melhor controle sobre as desinformações que circulam na plataforma.

“Mecanismos de denúncia nunca são “neutros”. Pode haver sim manipulação. Em tese depende sim de testar o mecanismo antes de colocar em produção. Mas o Twitter tem acesso aos dados transparentemente. Eles têm muito mais capacidade de entender o que está acontecendo na sua plataforma do que pesquisadores independentes, com acesso aos dados via API. Nesse sentido, daria para entender como funcionam as redes de desinformação com certa precisão e também se estão tentando manipular o mecanismo de denúncia”, explica Arles.

Arles também pontua que o “Twitter, melhor que ninguém, tem como coibir e minorar a desinformação na Plataforma. E, se alega que não tem, tem que sofrer as consequências disto para não deixar a sociedade pagar sozinha pelos efeitos danosos do seu negócio”.

Zé de Abreu convoca greve de 24 horas no Twitter

O ator Zé de Abreu convocou uma greve geral no Twitter a partir da meia noite desta quinta-feira (6).

O objeto, segundo ele, é “uma demonstração de força que só os realmente esquerdistas conseguirão”.

“Conclamo todos os anti bolsonaros que fiquemos 24 horas sem postar nada nem dar RT no twitter. Será uma demonstração de força que só os realmente esquerdistas conseguirão. A partir de meia noite de hoje ninguém posta nem dá RT em nada até amanhã. Greve no @Twitter. Se não, parto.”

Twitter verifica conta de blogueira bolsonarista acusada de disseminar fake news

Enquanto a filósofa Marcia Tiburi teve seu perfil totalmente bloqueado pelo Instagram, a acusada de disseminar fake news Bárbara Destefani recebeu o selo de verificado do Twitter na virada do ano. A marca é dada a contas que representam ou que estão associadas “a um indivíduo ou marca proeminentemente reconhecida” de acordo com os critérios de notabilidade da plataforma.

O canal de Bárbara no Youtube, o “Te Atualizei“, foi desmonetizado após se enquadrar em um inquérito conduzido pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) por acusações de fake news contra o processo eleitoral. O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes chegou a pedir a quebra de sigilo de identidade do perfil no Twitter por ser batizado de @Taoquei1 e não levar o nome dela.

O perfil de Bárbara já fez ataques ao STF, apoiou as manifestações antidemocráticas e espalhou fake news relacionadas a vacina contra a Covid-19. Além disso, com frequência ela defende a cloroquina, que foi provada não ter eficácia no tratamento contra a doença.

O nome da bolsonarista também é citado no relatório final da CPI da Covid-19 entre os blogueiros que ajudaram a disseminar desinformação durante a pandemia.

Twitter: a nova política de verificação

Em nota divulgada à imprensa, o Twitter revelou que mudou a sua política de verificação e que hoje ela serve apenas para apontar que há uma pessoa por detrás do perfil.

“Em relação a verificações, fizemos uma revisão da nossa política e recentemente anunciamos a abertura do processo de solicitação para verificação de perfis. Com a atualização, é possível submeter solicitações via formulário e, caso a conta atenda aos critérios de acordo com a política, o selo é concedido. Vale lembrar que o selo azul tem por objetivo confirmar a autenticidade de uma conta, ou seja, dar às pessoas na plataforma a certeza de que quem está por trás de perfis de alto alcance e engajamento é mesmo quem diz ser”, diz a nota do Twitter.