TV e Rádio ainda são importantes num país de tamanha diversidade cultural, afirmam debatedores

Notícias do Barão
Typography
  • Smaller Small Medium Big Bigger
  • Default Helvetica Segoe Georgia Times

O fortalecimento da Comunicação Pública foi tema da segunda mesa de debates da tarde desta sexta-feira (29) no seminário "Os Desafios da Comunicação nas Administrações Públicas". Os debatedores Flávio Gonçalves (Diretor-geral da TVE-BA), Daniel Merli (secretário de Comunicação do Maranhão) e Laurindo Leal Filho ((Lalo) ex-ouvidor da EBC) destacaram a importância do Rádio e TV pública como meio mais eficaz das administrações se comunicarem com a população, apesar do avanço da Internet e Redes Sociais.

Por Ruth Helena de Souza (APBL/CTB)

Foto: Manu Dias/GOVBA

"TV e Rádio públicas ainda são importantes num país de tamanha diversidade cultural e de formação", declarou Lalo. Para ele, o rádio agora é visto, de maneira equivocada, como meio secundário. Ele afirma que o veículo ainda "é fundamental no jogo político e não pode ser descartado pelas administrações públicas", quando o objetivo é se comunicar efetivamente com a população.

"Está presente, por exemplo, nas populações ribeirinhas e nos veículos, nos congestionamentos das grandes cidades, sendo usado em grande escala pelas emissoras de direita, atuando como formador de opinião".

Na opinião do ex-ouvidor, o maior erro que as administrações públicas cometem é não investirem o suficiente nas TVs públicas, de forma a colocá-las num patamar de concorrência com as grandes emissoras.

No atual comando da TVE da Bahia, Flávio Gonçalves disse que "investir em Rádio e Televisão ainda é importante. A TV pública oferece diversidade de conteúdo, além de não estar relacionada a interesses comerciais".