25 de julho de 2024

Search
Close this search box.

Mostra “Denoy de Oliveira – A Arte da Resistência” celebra os 90 anos do fundador do CPC-UMES

O Centro Popular de Cultura da UMES (CPC-UMES) promoverá, entre os dias 31/10 e 4/11 a Mostra-Exibição Denoy de Oliveira – A arte da resistência. O evento celebra os 90 anos do nascimento e os 25 anos da partida desse grande cineasta, ator, diretor, dramaturgo, roteirista, produtor e compositor. As atividades acontecerão no Cine-Teatro Denoy de Oliveira (Rua Rui Barbosa, 323 – Bela Vista). Serão exibidos dois documentários e quatro longas-metragens de ficção dirigidos por ele, além do curta de animação Cristo Procurado, dirigido pelo irmão, Rui de Oliveira. 

UMES

 O saguão do Cine-Teatro abrigará uma exposição contando a trajetória de Denoy desde os tempos de teatro amador, passando pelo Teatro Nacional de Comédia, CPC da UNE, Grupo Opinião, a consagração como cineasta e a fundação da APACI (Associação Paulista de Cineastas) e do CPC-UMES. Tótens sonoros permitirão aos presentes conhecer um pouco da faceta cantor e compositor de Denoy.

Os materiais foram cedidos pelos irmãos, o também cineasta Xavier de Oliveira e o ilustrador Rui de Oliveira, e pela família da viúva, Maraci Mello. A Mostra-Exibição Denoy de Oliveira – A arte da resistência conta com o apoio da APACI (Associação Paulista de Cineastas) e do Sindcine (Sindicato dos Trabalhadores na
Indústria Cinematográfica e do Audiovisual dos Estados de São Paulo, Rio Grande do Sul, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Goiás, Tocantins e Distrito Federal).

umes2

 Denoy Gonçalves de Oliveira (Belém, PA, 1933 – São Paulo, SP, 1998). Diretor, ator, produtor, dramaturgo, roteirista, compositor. Cresce no subúrbio do Rio de Janeiro, onde começa a trabalhar aos 14 anos em funções diversas. Cursa Arquitetura na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) a partir de 1957, sem concluir a graduação, e artes cênicas na Escola de Teatro Martins Pena. Depois de várias peças amadoras, estreia como ator profissional na peça O Círculo de Giz Caucasiano (1962), dirigida por José Renato para o Teatro Nacional de Comédia.

Em 1963 passa a integrar o Centro Popular de Cultura da UNE. Em 1964, após o fechamento do CPC pelo Golpe Militar, funda junto com Ferreira Gullar, Vianninha, João das Neves Teresa Aragão, Paulo Pontes, Armando Costa e Pichin Plá o Grupo Opinião. Começa no cinema com o irmão e cineasta Xavier de Oliveira (1937), fazendo produção, trilhas sonoras e atuando. Em 1973 escreve e dirige seu primeiro longa Amante “Muito Louca”! (1973), prêmio de melhor direção no 2º Festival de Gramado. Muda-se, em 1976 para São Paulo, onde se torna um dos principais articuladores da fundação da Associação Paulista de Cineastas (Apaci). Dirige mais três longas 7 Dias de Agonia (O Encalhe) (1982), O Baiano Fantasma (1984) e A Grande Noitada (1997), pelos quais é premiado nacional e internacionalmente, além de curtas, médias e documentários.

Atua em diversos filmes, além de compor e cantar trilhas sonoras, escrever roteiros e produzir. Em 1994 funda o Centro Popular de Cultura da UMES.
Xavier de Oliveira (Rio de Janeiro, 1937) é cineasta, roteirista, produtor. Seu curta de estreia, Escravos de Job (1965) venceu o 1º Festival JB/Mesbla de Cinema Amador. Dirigiu cinco longas-metragens (Marcelo Zona Sul, André a Cara e a Coragem, O Vampiro de Copacabana, Gargalhada Final e Adágio ao Sol), além de curtas e documentários. Fez também roteiros e, produziu e atuou.

Rui de Oliveira nasceu no Rio de Janeiro. Estudou pintura no Museu de Arte Moderna desta cidade, artes gráficas na Escola de Belas Artes da UFRJ e, durante 6 anos ilustração na Moholy-Nagy University of Art and Design, em Budapeste. Estudou também cinema de animação no estúdio húngaro Pannónia Film. Foi Diretor de Arte da TV-Globo e da TV-Educativa atual TV-Brasil. Entre suas aberturas e vinhetas destacam-se as criadas para a primeira versão da novela Sítio do Pica-Pau Amarelo e
a reformulação do vídeo-grafismo da TVE.

Já ilustrou mais de 140 livros e projetou dezenas de capas para as principais editoras de literatura infanto-juvenil brasileiras, e é autor de seis filmes de animação, tendo recebido muitos prêmios por seu trabalho com animador e ilustrador. Entre eles por 4 vezes o Prêmio Jabuti de ilustração. Recebeu em 2006 o prêmio de literatura infanto-juvenil da Academia Brasileira de Letras com o seu livro Cartas Lunares.

SERVIÇO:

Exposição Denoy de Oliveira – A arte da resistência
Abertura: 31/10 às 18 horas. Funciona até 4/11, sempre das 18 h às 23 h.
Local: Rua Rui Barbosa, 323 – Bela Vista – São Paulo. 

Mostra Denoy de Oliveira – A arte da resistência
Abertura: 31/10 até 4/11 sempre às 19 horas.
Local: Cine-Teatro Denoy de Oliveira – Rua Rui Barbosa, 323 – Bela Vista – São Paulo.

Programação:

TERÇA – 31/10 – 19 h
Cristo Procurado
CURTA-METRAGEM | 1990 | DIR. RUI DE OLIVEIRA
Amante Muito Louca
COMÉDIA | 1973 | DIR. DENOY DE OLIVEIRA (DEBATE COM Rui de Oliveira e Xavier de
Oliveira)

QUARTA- 01/11 – 19 h
7 Dias de Agonia (O encalhe)
DRAMA | 1982 | DIR. DENOY DE OLIVEIRA
QUINTA – 02/11 – 19 h
O Baiano Fantasma
DRAMA | 1984 | DIR. DENOY DE OLIVEIRA

SEXTA – 03/11 – 19 h
Pega Ladrão!
DOCUMENTÁRIO | 1994 | DIR. DENOY DE OLIVEIRA
Que Filme “tu vai” Fazer?
DOCUMENTÁRIO| 1991 |DIR. DENOY DE OLIVEIRA

SÁBADO – 04/11 – 19 h
A Grande Noitada
COMÉDIA | 1998 | DIR. DENOY DE OLIVEIRA