22 de julho de 2024

Search
Close this search box.

Obama critica a mídia e a cobertura eleitoral nos EUA

Foto: Agência Reuters

Da redação, com informações da Agência Reuters/UOL

Em discurso durante um jantar de prêmios jornalísticos na segunda-feira (28), em Washington, Barack Obama detonou a mídia e culpou a irresponsabilidade no jornalismo pelo baixo nível do debate eleitoral no país. Os eleitores, segundo o presidente estadunidense, “seriam mais bem servidos se bilhões de dólares de mídia gratuita tivessem uma responsabilização séria, especialmente quando políticos divulgam planos impraticáveis e fazem promessas que não podem manter”.

Segundo a Agência Reuters, Obama se mostrou consternado com a retórica vulgar, a violência nos comícios e as promessas fantasiosas nas campanhas dos presidenciáveis, que vêm rendendo manchetes diárias.  A referência, neste caso, é ao candidato republicano Donald Trump. O multimilionário tem causado controvérsia pelo teor racista, xenófobo e elitista de sua campanha.

Em campanha, Trump chegou a afirmar que mexicanos levam "crimes, drogas e estupradores" aos EUA.

Para Obama, parte da responsabilidade da pobreza do debate deve-se à precarização das redações políticas em detrimento à selvageria da caça por cliques, curtidas e compartilhamentos nas redes. O presidente pondera que, apesar da dinâmica veloz da “era dos smartphones”, é necessário ir a fundo na cobertura jornalística. Durante sua primeira campanha presidencial, em 2008, Obama destaca que havia um preço a se pagar caso você dissesse uma coisa e não cumprisse. “A questão é: no ambiente midiático atual, isso ainda é verdade? Isso ainda vale?”, questiona.

O líder estadunidense demonstrou preocupação quanto ao rumo da política do país a partir da disputa de 2016. “Quando nossas autoridades eleitas e nossas campanhas políticas se tornam inteiramente desenfreadas diante da razão e dos fatos e das análises, quando não importa o que é verdade e o que não é, isso torna praticamente impossível para nós tomar boas decisões em nome das gerações futuras”.

Os eleitores, de acordo com Obama, “seriam mais bem servidos se bilhões de dólares de mídia gratuita tivessem uma responsabilização séria, especialmente quando políticos divulgam planos impraticáveis e fazem promessas que não podem manter”.