19 de junho de 2024

Search
Close this search box.

FCINA repudia ataques a Lula e alerta para decomposição da democracia no continente

Formado por dezenas de entidades e veículos de comunicação de diversas partes do continente, o Fórum de Comunicação para a Integração de Nossa América (FCINA) criticou, em nota, os ataques fascistas e virulentos envolvendo a caravana de Lula pela região sul do Brasil. Para o fórum de comunicadores latino-americanos, as pedras e os tiros disparados contra os ônibus que transportavam, além do ex-presidente, a sua equipe e uma comitiva de jornalistas, ocorridos na última semana de março, constitui grave violação da liberdade de expressão e escancara o risco que a democracia corre no continente.

De acordo com a nota, a mídia hegemônica e monopolista tem tudo a ver com a onda fascistizante que percorre o Brasil e a região. “Esta agressão armada é consequência direta do clima de violência e ódio instalado pela pregação distoricda e permanente de grupos concentrados de comunicação, como as Organizações Globo”, assinala o FCINA. Apesar de ocorrido no Brasil, o Fórum alerta: o caso revela um cenário de decomposição generalizada da democracia na América Latina.

Na quarta-feira (28), Lula encerrou a caravana em Curitiba e recebeu a solidariedade, em ato contra o fascismo, de dois pré-candidatos à presidência: Manuela D’Ávila (PCdoB) e Guilherme Boulos (PSOL). Foto: Ricardo Stuckert

Leia a íntegra da nota traduzida para o português:

Calar jamais!

O Fórum de Comunicação para a Integração de Nossa América (FCINA) manifesta seu mais enérgico repúdio ao ataque que sofreu a caravana do ex-presidente Lula durante sua passagem pela região sul do Brasil.

Esta agressão armada é consequência direta do clima de violência e ódio instalado pela pregação distorcida e permanente de grupos concentrados de comunicação, como as Organizações Globo. É, também, uma prolongação da crescente militarização que quer impor o governo ilegítimo de Michel Temer para silenciar todas as reivindicações sociais frente ao seu programa de ajuste antipopular.

O plano de fundo que este ataque tem como manifesto é o conflito da luta por distribuição de terra mediante uma reforma agrária integral em oposição aos interesses latifundiários que financiam e armam lacaios para atentar contra os líderes sociais. Conflito no qual o governo golpista tomou, claramente, o lado dos ruralistas, promovendo a criminalização das organizações camponesas.

Estamos ante uma nova mostra de decomposição generalizada da democracia na América Latina, que deve ser denunciada prontamente por toda a cidadania.

Alertamos, também, sobre a legitimação que os governos conservadores e neoliberais pretendem dar à perseguição judicial e proibição política de candidatos progressistas em nome de uma suposta cruzada anticorrupção, corrupção da que são atores principais os seus próprios representantes junto às empresas que a originam.

As redes de comunicação, meios e movimentos sociais agrupados no FCINA expressamos nossa plena solidariedade a Luiz Inácio Lula da Silva, aos acompanhantes de sua caravana, aos lutadores e lutadoras e a todo o povo brasileiro nesta conjuntura de retrocesso social pela qual passa o Brasil.

Calar jamais!

Fórum de Comunicação para a Integração de Nossa América