21 de julho de 2024

Search
Close this search box.

60 anos do golpe: Barão de Itararé debate a mídia e o golpismo, ontem e hoje

Na terça-feira, 12, às 17h, o Centro de Estudos da Mídia Alternativa Barão de Itararé promove live para refletir sobre os 60 anos do golpe de 1964

O fantasma golpista voltou a assombrar o país com o golpe judicial, midiático e parlamentar contra Dilma Rousseff e reaparece com a conspiração entre o “partido fardado”, Bolsonaro e a ultradireita que dilapidaram o Brasil entre 2018 e 2022

Para construir um mosaico de visões sobre o tema, o fundador do Jornal Empoderado e coordenador do Barão de Itararé, Anderson Moraes, recebe os seguintes convidados:

Diva Soares Santana – diretora do Grupo Tortura Nunca Mais Bahia, irmã de Dinaelza Santana Coqueir e cunhada de Vandick Reidener Pereira Coqueiro, ambos desaparecidos políticos. Foi Conselheira da Comissão Especial sobre Mortos e Desaparecidos Políticos, órgão extinto pelo governo Bolsonaro.   

Beatriz Kushnir –  doutora em História e autora, entre outros, do livro “Cães de guarda: jornalistas e censores, do AI-5 à Constituição de 1988″ (Boitempo), sobre o colaboracionismo da grande imprensa e em especial do Grupo Folha Manhã com a ditadura pós-1964.

Nilmário Miranda – assessor especial de Defesa da Democracia, Memória e Verdade do Ministério de Direitos Humanos e Cidadania, ex-deputado federal por Minas Gerais, foi Secretário Especial de Direitos Humanos no primeiro mandato de Lula. É autor de livros sobre o tema, entre eles “Dos filhos deste solo: mortos e desaparecidos políticos durante a ditadura militar: a responsabilidade do Estado” (Editora Fundação Perseu Abramo e Boitempo Editorial), em parceria com o jornalista Carlos Tibúrcio.